sábado, agosto 08, 2009

ai as nossas dores!




Essa dor não é tua
Pintaram-na num muro
Abres os olhos
E ela tranca-te


Dói-te como dor vivida
Mas essa dor
(Garanto)
Não é uma dor tua


Inspira
Um fôlego intenso
E depois
Expira levemente
Descai -te num sorriso

Olha
O muro ficou liso
Eu disse
A dor não era tua
Vive

8 comentários:

wind disse...

Gostei.
Beijos

.Lis disse...

Tantas dores alheias plantas por aí...
Vou ficar por aqui também ,adoro poesias , amo as palavras, a arte de se comunicar , a imagem, enfim sou uma romantica.Obrigada pelos elogios ao blog, nao sei escrever, entao transcrevo o que me bate no coração ,na alma. Se deixares, posso postar poemas seus .
Abraços

.Lis disse...

corrigindo: tantas dores alheias plantadas por aí... rsrs
desculpas registradas.

gabriela rocha martins disse...

belíssimo




.
um beijo

Mofina disse...

O muro ficou liso, mas continua lá. Talvez com outras dores mais garridas.

marcia szajnbok disse...

bonito, fátima, gostei muito!

facinho, facinho a gente pega uma dor alheia e toca a coçar tristeza...

Maria, Simplesmente disse...

Ahahahah:

Uma bela sugestão de como encarar as dores.
Como não tenho muro perto vou pintar a casa da frente... vai ficar linda.
Parabéns
Bom domingo
Maria

Mena G disse...

Gosto muito, pois então!
Está lavado o muro. Pronto para outras cores da vida.