terça-feira, dezembro 25, 2012

dança






Quando um dia eu dançar
Nesse dia hei-de ficar livre
Hei-de abandonar
A menina de saia abaixo do joelho

Terça-feira e eu dançando 
Uma polca
Um tango
Uma valsa
Um  fox trote
Twiste que seja ou mesmo rock
Um dois três, um dois três
Ritmos lentos ou ritmos infernais


Um dia, antes que morra
Antes que fique manietada de velhice
Hei-de dançar 
Dançarei, sim, ali no largo
Ficarei livre




4 comentários:

RÉJO MARPA disse...

A dança é o balanço do balanço,é o balanço do balanço de dançar...
Porque não?

wind disse...

Nada como dançar e sentir que se está livre:)
Gostei deste poema por isso.
Beijos

wind disse...

A propósito vou-te roubar este com os devidos créditos:)
Beijos

Fanzine Episódio Cultural disse...

Olá!! Este é um convite para você participar do “Grupo Academia Machadense de Letras”, onde você poderá publicar gratuitamente seus poemas, contos, crônicas, livros, música; textos sobre saúde, releases de CDS e DVDS, eventos, lançamentos, sugestões de filmes, Artes, Shows, teatro, cinema, dança, artesanato... Acesse o link abaixo e no canto superior direito clique em (PARTICIPAR). Grande abraço!
---------------------
https://www.facebook.com/groups/149884331847903/
OBS:
Em novembro (2013) a Academia Machadense de Letras, localizada em Machado, sul de Minas, realizará o IX Concurso de Poesias "Plínio Motta" (tema livre). Assim que sair o regulamento eu avisarei a todos Contamos com a sua participação.