quarta-feira, julho 25, 2007

pescador



polpa do sargo fresco
da sardinha
sangue e alma

eles
passando a barra
a onda de sueste
desviando da fraga
remoinhando ao largo
muito ao longe da praia

polpa de sargo
de sardinha
carapau miúdo
cavala
peixe mais graúdo


a saber a sal
a saber a vida
a saber a lágrima




comentário deixado aqui

5 comentários:

Alexandre disse...

O que escreveste poderia ser uma canção. Haja alguém que a musique porque as palavras estão lá!!!

Muitos beijinhso!!!

efe disse...

uindo

Manuel Bastos disse...

Palavras com dor e com sabor... palavras com vida... não precisam de música, já têm.

vida de vidro disse...

Cheiro de maresia, som das ondas do mar. Está tudo aí. **

Nilson Barcelli disse...

Acho que nunca tinha lido poemas teus. Só agora reparei que tens mais blogues... ou então não me lembro de os ver...
Tenho que ler mais. Mas, para já, estou encantado com a tua costela poética.
Beijinhos.