terça-feira, agosto 26, 2008

o coração da gente

O coração da gente,
Muitas vezes
Vezes demais, pressinto,
Pesa que nem ao homem
O molho das redes


Massa informe,
Mercúrio denso envenenando,
O coração da gente chora
Por muitas vezes,
Dias, anos, meses

A gente soluça o coração em fases
Intermitentes ais que guardamos
Choros de muito antes

Quando choramos,
Soluçamos alma e corpo
Tristezas do Universo todo

E vivemos

Vivemos apesar do grande choro
Um dia e mais um outro

Ai como pesa o coração da gente!
(Como nos pesa ainda mais o coração do outro!)

3 comentários:

Vieira Calado disse...

Obrigado, amiga!
bjs

Clara disse...

Maria da Fátima,

Obrigada por partilhar as suas palavras.

Um beijo

mac disse...

Ai, como nos pesa ainda mais o coração do outro!

Hélas!