segunda-feira, junho 23, 2008

sabes?

Sabes, Maria, o que me apetecia?

Cavalos com correntes, doidos
Alimentados a torrão de açúcar
Gatos deslizando como osgas
Um duende, uma fada
Um castelo com ogres

Sabes,Maria, o que eu queria?

Um caminho em zig zag
Uma estrada que não leva
Nem ela vem de onde
Um cão e as suas pulgas
Esparguete com doce de tomate

Sabes o que eu desejava, Maria?

Que fossem duas da tarde
Que cantasse um galo a acordar-te
Que viesses deslizando rio acima
Maria
O que eu desejava era que fosse
a vida simplesmente simples
Sem erva, sem macacos, sem resmas de papéis
Sem cacos, nem anéis, nem notas de banco
Sem telhados
Sem nada a mais, sabes
Maria o que a mim me apetecia?

6 comentários:

mac disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mac disse...

Sabes, Maria, o que me apetecia?

Um sorriso simples, de quem nada anseia.

Hélas!

Nilson Barcelli disse...

Vi este poema no blogue da Maria Laura e queria saber quem escrevia tão bem.
Afinal és tu Maria de Fátima...
Mas não sabia que tinhas este blogue. Tens tantos...

Beijinhos cara amiga Maria

efe disse...

ai! Maria...

RESSACA disse...

Aqui nasceu o Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

Mena G disse...

Um ASSOMBRO...

Sem explicação plausível, comi nuvens de açúcar, montei cavalos de pau em "envoltinhas" de carrocel...
Sabe-se lá porquê!
(Provavelmente, só porque me apeteceu ler-te desta forma...)