quinta-feira, maio 03, 2007

(desas)sossego

(Agulhas de fogo penetram a epiderme
Sangram interiores de pranto
negritude de sangue em coalho)

Blasfemas
E os teus deuses surdos fogem
Choras
E os teus anjos loucos riem-se
Vibras
E responde-te o silêncio da História

Olhas-te
e vês
Um buraco
Uma argola de fogo
Um corredor de fumo
Um quarto sem portas
Uma caixa
Um colchão sem penas

Gritas
e o luar ensanguenta-se
os deuses atropelam-se e escutam
os anjos choramingam em risadas tontas

Voas
Finalmente o sossego
sentada no bico de uma estrela



escrito em Outubro de 2002
publicado em setembro 15, 2004 no blog
livro branco

2 comentários:

Francisco disse...

foi sonho ou pesadelo?

Vieira Calado disse...

Não tive o prazer, ontem ,no lançamento dos postais...
Tens que pensar em candidatar-te um dos próximos.